Peter Behrens

31 10 2009
Behrens_AEG_Electric_fan_1908

Ventoinha desenhada por Peter Behrens. Um dos seus muitos trabalhos para a AEG.

Entre 1886 e 1889, Peter Behrens estudou na Kunstgewerbeschule em Hamburgo, na Kunstschule em Karlsruhe e na Dusseldorfer Akademie. Desde 1890 trabalhou como pintor e designer gráfico em Munique, onde foi influenciado pelo movimento Jugendstil. Durante este período produziu gravuras coloridas, ilustrações e encadernações no estilo Jugendstil e em 1893 tornou-se membro fundador da Munchner Sezession (Secessão de Munique), um grupo progressista de artesãos expositores. Em 1896 viajou até Itália e um ano mais tarde juntou-se a Hermann Obrist, August Endell, Bruno Paul, Richard Riemerschmid e Bernhard Pankok para montar a Vereinigte Werkstatten fur Kunst im Handwerk (Oficinas unidas) em Munique, para produção de objectos de uso quotidiano. Em 1898 Behrens trabalhou no jornal Pan e desenhou as primeiras peças de mobiliário, que foram expostas na Glaspalast em Munique no ano seguinte. De 1899 a 1903 foi membro activo da Darmstadter Kunstler-Kolonie (Colónia de Artistas de Darmstadt), que tinha sido iniciada pelo Grão-Duque Ernst-Ludwig de Hesse-Darmstadt. Em  Darmstadt, Behrens desenhou o seu primeiro edíficio, a Behrens Haus. Este projecto foi concebido como um Gesamtkunstwerk, em que o mobiliário e o vidro foram criados especialmente para ele. Esta casa marcou um importante ponto de partida para o afastamento de Behrens do Jugendstil e uma aproximação mais racional ao design. Em 1902 e 1903 Behrens deu aulas no Bayerisches Gewerbemuseum em Nuremberga e expôs na “Esposizione Internazionale D’arte Decorativa Moderna” em Turim. De 1903 a 1907 foi director da Kunstwerbeschule em Dusseldorf. O sentido comercial da “Arte Industrial” levou o fundador da AEG, Emil Rathenau – instigado por Paul Jordan (director das fábricas da AEG) -, a nomear Peter Behrens director artístico da Empresa em 1907. Foi a primeira vez que uma empresa empregou um designer para aconselhar sobre todos os aspectos do design. Nesta função, Behrens desenhou casas e fábricas para os trabalhadores, incluíndo a Fábrica das Turbinas da AEG, de betão, aço e vidro que, sendo umas das primeiras verdadeiras expressões da arquitectura industrial moderna, foi enormemente influente. Para além da arquitectura, Behrens também desenhou produtos eléctricos, como por exemplo chaleiras, ventoinhas e relógios, que incorporavam na sua construcção componentes estandarizados que eram intermutáveis entre produtos, de forma a racionalizar os métodos de produção. Behrens era também responsável pelo grafismo usado pela empresa e criou uma forte e muito unificada entidade corporativa para ela. Pouco depois da sua nomeação para a AEG, Behrens, em conjunto com Peter Bruckman, Josef Maria Olbrich, Fritz Schumacher, Richard Riemerschmid e Hermann Muthesius, fundou a Deutscher Werkbund em Outobro de 1907. (…) Sendo um dos primeiros designers industriais, Behrens foi o mais influente designer alemão do século XX. As suas soluçoes de design simples, práticas e racionais foram intensamente influentes para a formação do Modernismo.

Anúncios

Acções

Information

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s




%d bloggers like this: